sábado, 14 de janeiro de 2012

OS 10 LUGARES MAIS HORRIPILANTES DO MUNDO.

Existem locais neste planeta que induzem a respiração pesada e a paranóia, antes mesmo de qualquer coisa realmente acontecer. Nós caminhamos no escuro, vagueamos pelos corredores de asilos e túneis, ouvimos gritos no meio da noite e passos no corredor, vimos sombras passarem e neblinas tomarem a forma de algo estranhamente familiar. Nós respiramos, nós oramos, nós gritamos e amaldiçoamos. Sempre em busca de algo, embora sem querer realmente encontrá-lo. Por que insistimos em investigar lugares como estes? Para que você possa se preparar melhor, leia essa lista. Confira os 10 lugares mais terríveis da Terra e visite-os, se tiver coragem.

                                         1- Riddle House
A história: a Casa Riddle (Riddle, em inglês, significa enigma – caso você não tenha lido Harry Potter) no Condado de Palm Beach, Flórida, foi originalmente uma casa funerária. A casa vitoriana foi desmontada e reconstruída em Yesteryear Village, no Sul da Flórida. Em 1920, tornou-se propriedade privada de Karl Riddle.
O terror: Joseph, um dos ex-empregados de Riddle, enforcou-se no sótão da casa. Ele odiava os homens, e exibe esse ódio atacando os que entram no sótão. Um homem foi encontrado com uma tampa arremessada em sua cabeça. Outros lugares da casa também são assombrados, e a mobília desloca-se sozinha frequentemente.
                                          2 – Helltown
A história: Helltown é como ficou conhecida a parte norte do Condado de Summit em Ohio. Na década de 70, o município foi o local de uma compra governamental que expulsou em massa os cidadãos. As casas deveriam ser demolidas e as terras usadas para a construção um parque nacional, mas os planos nunca se concretizaram. Logo, surgiram as lendas. Dirigir através da paisagem escura e arborizada da cidade já é suficiente para lhe dar arrepios, mesmo quando era habitada.
O terror: seja com base em um núcleo de verdade ou mera invenções, as lendas persistentes de Helltown são um pouco deformadas. A íngreme estrada que segue para um beco sem saída é apropriadamente chamada de “o fim do mundo”. Se você ficar preso a este beco sem saída por muito tempo, entusiastas podem dizer que você encontrará seu fim nas mãos de muitos personagens bizarros que patrulham as florestas: satanistas, membros da Ku Klux Klan, um doente mental fugido, uma anormalmente grande serpente, ou mutantes causados por um derramamento químico. E se você desviar do caminho pode encontrar o cemitério, a casa de um homem fantasmagórico, de ladrões de túmulos, e de uma árvore que se move.
                                     3 – Stull Cemetery
A história: Stull, no Kansas, é uma cidade minúscula. Dez quilômetros a oeste de Lawrence e 13 quilômetros a leste de Topeka a colocam longe de qualquer coisa parecida com um grande centro. A população de Stull é de aproximadamente 20 pessoas. Mas, não deixe a vila pitoresca enganá-lo. Um lado mais sombrio se esconde por trás dos arbustos e nas sombras.
O terror: No início do século XX, duas tragédias abalaram o povoado de Stull (fatos, não lenda ou folclore). O primeiro incidente foi um pai que queimou um campo agrícola só para descobrir o cadáver carbonizado de seu filho na sequência. O segundo incidente foi a ocorrência de um homem desaparecido, mais tarde encontrado enforcado em uma árvore. Mas o cemitério é o lugar famoso da região. Existem livros que dizem que o lugar é tão terrível que o diabo faz os julgamentos com seus adoradores lá. Existem rumores que o cemitério é um dos sete portões para o inferno. A patrulha da polícia age fortemente no local, especialmente no Dia das Bruxas e do equinócio da primavera, para evitar invasões. O lugar é supostamente tão profano que há boatos de que o Papa João Paulo II se recusou a permitir que o seu avião sobrevoasse o leste do Kansas em seu caminho a Colorado.
                                     4 – The Ridges

A história: originalmente conhecido como o Lunatic Asylum Atenas, The Ridges foi rebatizado após o estado de Ohio adquirir a propriedade. O hospital fazia centenas de lobotomias e muitas vezes declarou que masturbação e epilepsia eram as causas da demência nos pacientes.
O terror: está listado como o 13º lugar mais assombrado do mundo, segundo a Sociedade Britânica de Pesquisas Psíquicas. Dizem que a Universidade de Ohio, vizinha do Ridges, é fortemente assombrada. Um estuprador famoso, Billy Milligan, foi alojado na unidade há muitos anos. Porém, a história mais famosa é a de uma paciente de 54 anos que fugiu e ficou desaparecida por seis semanas. Ela foi encontrada morta em uma ala não utilizada do hospital; tinha tirado todas as suas roupas, dobrado-as, e deitado no concreto frio, onde morreu posteriormente. Através de uma combinação de decomposição e exposição ao sol, o seu corpo deixou uma mancha permanente no chão, ainda visível hoje. Dizem que seu espírito assombra a ala abandonada.
                           5 – Humberstone e LaNoria     
                
A história: estas duas cidades do Chile foram recentemente apresentadas em um episódio do “Destination Truth”, no canal SyFy. Em 1872, Humberstone foi fundada como uma mina de salitre, e o negócio cresceu. No entanto, após vários golpes pesados (incluindo a Grande Depressão), a empresa entrou em colapso em 1958, e Humberstone e as cidades vizinhas foram abandonadas em 1960. O tratamento dos trabalhadores nas duas cidades beirava a escravidão.
O terror: há rumores de que os mortos do cemitério de La Noria levantam-se à noite e caminham ao redor da cidade, e imagens fantasmagóricas frequentemente aparecem em fotografias de Humberstone. Estas cidades são tão aterrorizantes que os residentes das proximidades recusam-se a entrar nelas. O cemitério de La Noria, independentemente de seus ocupantes andarem ou não à noite, contém sepulturas abertas com corpos completamente expostos, e ninguém sabe por quê.
                              6 – Byberry Mental Asylum 
                      

A história: o Hospital Estadual da Filadélfia em Byberry foi fundado em 1907, e ficou conhecido como o Byberry Mental Hospital. Chegou a ultrapassar seu limite de pacientes em até 7.000. Abrigou desde deficientes mentais até criminosos insanos. Devido às suas condições atrozes e o tratamento sub-humano dado a seus pacientes, o hospital foi fechado e abandonado em 1990. Ele havia se tornado um incômodo para a vizinhança, pois era alvo de vândalos, incendiários, satanistas e exploradores urbanos. Foi demolido em 2006, apesar do temor de propagação de amianto (que foi o que o manteve de pé por 16 anos).
O terror: apesar do local ter um aspecto terrível, histórias de assombrações e personagens desagradáveis, o maior terror vem da forma como o hospital foi dirigido. Excrementos humanos eram alinhados nos corredores, onde muitos pacientes também dormiam. Os funcionários eram abusivos e freqüentemente exploravam e assediavam pacientes. Uma paciente foi morta e esquartejada dentro do hospital e seu corpo foi espalhado por toda a propriedade. O assassino, Charles Gable, nunca foi encontrado. Mesmo quando o hospital estava encerrando as atividades, dois pacientes liberados foram encontrados mortos no rio Delaware, dois dias após a sua libertação.
                                       7 – Leap Castle
A história: este castelo irlandês é talvez o local mais popular da lista. Embora tenha sido construído pelos O’Bannons no final do século 15, o castelo foi tomado pelo O’Carrolls, a quem os O’Bannons estavam sujeitos. Após a morte de Mulrooney O’Carroll, uma rivalidade feroz entre dois irmãos surgiu pelo controle do local. Um dos irmãos, um padre, foi brutalmente assassinado em sua própria capela, em frente à família, pelo outro irmão. Esta capela é hoje conhecida como a Capela Sangrenta, por razões óbvias. Muitas pessoas foram presas e executadas no mesmo castelo.
O terror: dizem que o castelo é assombrado por um grande número de espíritos, incluindo uma besta violenta conhecida como o Elemental, reconhecível pelo cheiro de carne podre e de enxofre. Enquanto renovavam o castelo, trabalhadores descobriram uma masmorra, um calabouço acessível apenas através de um portal no teto, onde prisioneiros eram abandonados para morrer. Essa masmorra continha enormes quantidades de restos humanos.
                                8 – Shades of Death Road

A história: esta estrada de Nova Jersey tem 7 quilômetros de campo. Seu nome (e não apelido) é Shades of Death (em português, sombras da morte) e a explicação para isso foi perdida, mas muitas teorias abundam. Alguns dizem que ladrões assassinos roubavam e matavam pessoas ao longo da estrada. Outros dizem que foi por causa de retaliações violentas da população local contra os ladrões (em um episódio em que teriam pendurado os corpos dos ladrões na estrada como um aviso). Alguns atribuem o nome a três mortes que ocorreram nos anos 20 e 30. No primeiro assassinato, um ladrão bateu a cabeça de sua vítima em uma roda de ferro, em outro uma mulher decapitou seu marido e enterrou a cabeça e o corpo em lados separados da estrada, e no terceiro um cidadão chamado Bill Cummins foi baleado e enterrado em uma pilha de lama. Ainda há a teoria de que o nome vem de uma quantidade enorme de acidentes de carro fatais. A explicação mais provável, no entanto, é que os mosquitos da malária tenham aterrorizado os habitantes da região por muitos anos, e a distância da área médica causou muitas mortes.
O terror: ao sul do viaduto I-80 encontra-se um lago sem nome oficial, que a maioria chama de Ghost Lake (lago fantasma). Frequentemente surgem vapores em formatos de espectros, e o céu é conhecido por ser excepcionalmente brilhante, não importa que hora da noite você o visite. Os fantasmas das vítimas da estrada aparecem em uma cabana abandonada perto do lago. O beco sem saída da estrada, conhecido como Lenape Lane, é o lar de uma névoa espessa e de aparições. Calma, nem contamos ainda o aspecto mais perturbador da estrada: um dia, durante a década de 1990, alguns visitantes encontraram centenas de fotografias polaróides espalhadas na floresta em torno da estrada. Levaram algumas e compartilharam com uma revista, que as publicou. A maioria das imagens mostrava uma televisão mudando de canal, outras mostravam uma mulher ou mulheres, embaçadas e difíceis de identificar, deitadas sobre algum tipo de objeto metálico, conscientes, mas não sorrindo. A polícia local iniciou uma investigação depois que a revista publicou o artigo com as fotos, mas o restante delas
desapareceu pouco depois.
                           9- Tuol Sleng Genocide Museum
A história: Phnom Penh, Camboja, é a casa deste museu que era uma antiga escola secundária que foi convertida, em 1975, a uma penitenciária de segurança por Khmer Rouge. A prisão foi usada como base para a tortura e assassinato de presos. A maioria dos presos eram ex-soldados e oficiais do governo de Lon Nol. A paranóia de Rouge logo atingiu os seus líderes próximos, que começaram a enviar qualquer pessoa para a prisão. Muitos prisioneiros foram induzidos a nomear familiares que também eram presos, torturados e assassinados.
O terror: os fantasmas das 17 mil vítimas de Tuol Sleng continuam a vaguear pelos seus corredores, e acontecimentos estranhos ao redor do local são frequentemente atribuídos a eles. Não é difícil perceber por quê: a maioria era forçada a confessar crimes que nunca cometeram. Embora a maioria das vítimas fosse cambojana, muitos estrangeiros morreram, inclusive americanos, franceses, um neozelandês, um britânico, australianos, árabes, indianos, paquistaneses e vietnamitas. Acredita-se que apenas 12 pessoas sobreviveram.
O regulamento de segurança abaixo é real: são as dez regras que todos os presos tinham que respeitar na penitenciária [tradução adaptada]:
  • 1. Você deve responder de acordo com minha pergunta. Não desvie.
  • 2. Não tente esconder os fatos através de pretextos, você está proibido de me contestar.
  • 3. Não seja um tolo, você é um sujeito que se atreve a contrariar a revolução.
  • 4. Você deve imediatamente responder às minhas perguntas, sem parar pra pensar.
  • 5. Não me fale sobre suas imoralidades nem sobre a essência da revolução.
  • 6. Se receber chicotadas ou choques elétricos você não deve chorar.
  • 7. Não faça nada, fique quieto e espere minhas ordens. Se não houver ordem, mantenha a calma. Quando eu lhe pedir para fazer alguma coisa, você deve fazê-la imediatamente, sem protestar.
  • 8. Não invente pretextos sobre Kampuchea Krom para ocultar seu segredo ou traição.
  • 9. Se você não seguir todas as regras acima, você deverá receber muitos chicotes de fios elétricos.
  • 10. Caso você desobedecer qualquer ponto da minha regulamentação, você deve obter dez chicotadas ou cinco choques de descarga elétrica.
                             10- As Minas de Paris
A história: o local onde Paris está localizada era submerso há anos. Minas eram escavadas para retirar os minerais dos variados sedimentos, e até hoje há túneis que são a herança deste tempo (a mina não deve ser confundida com as Catacumbas de Paris, o famoso ossário subterrâneo).
O terror: segundo a lenda, cultos antigos e criaturas patrulham as profundezas e espíritos habitam as sombras das minas. O trecho de túneis percorre quase 600 quilômetros por toda Paris e a maioria deles não é mapeado. Dizer que é fácil se perder é um eufemismo. É quase impossível não ficar perdido. Muitas partes das catacumbas estão umas centenas de metros abaixo do nível da rua. Alguns corredores são inundados, ou são tão estreitos que você tem que rastejar por eles. Há buracos de centenas de metros de queda, e bueiros que estão inacessíveis. O labirinto infinito absorve o som e silencia-o, o que torna improvável que alguém lhe ouça. Milhares de ossos humanos são encontrados nos túneis, devido à superlotação em muitos cemitérios de Paris. Pinturas estranhas adornam as paredes. São antigas? Ou novas? São avisos? Pedidos de ajuda? Se você tem claustrofobia, você deve evitar as minas. Se não tem, provavelmente terá depois de uma viagem através delas.

FANTASMA NO ARMÁRIO.

O armário aparecia aberto todas manhãs, numa madrugada, o rapaz decidiu filmar o que estava acontecendo. Tem coragem? 


                       VEJA O VÍDEO EM TELA INTEIRA.
 



sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

A PRIMEIRA VISITA

Olá pessoal! Nanda aqui, só para informar que a história abaixo realmente aconteceu comigo, então é a mais pura verdade. Estarei postando mais por semana, não foram muitos ocorridos, então aguardem...


Tudo aconteceu quando eu comecei a ter consciência das coisas, eu já entendia bem o que acontecia, eu deveria ter uns 14 anos. Eu sempre tive medo do escuro, sempre sentia a sensação de estar sendo vigiada, sempre sentia um frio seguido de um arrepio subindo por minha espinha, e cada pelo do meu corpo ficava eriçado, eu nunca olhava para trás, essa sensação sempre acontecia no corredor de minha casa que é meio longo, e que parecia uma estrada aos meus olhos, na sala e na cozinha eu também sentia, mas isso tudo só quando estava de madrugada, eu sentia insonia, e sempre ia na cozinha procurar algo pra comer ou até mesmo para matar minha sede. 


Até então eu não tinha visto nada, só sentia essas sensações estranhas.


Num dia minha mãe recebeu a ligação de uma senhora dizendo que um conhecido havia falecido, nesse dia todos foram para o enterro do rapaz, e eu fiquei em casa sozinha, como já era de costume, eu estava na sala assistindo Televisão, como ainda era de tarde estavam passando alguns desenhos, eu ainda não sabia o motivo de todos terem saído de casa, e não me importei em saber, estava assistindo meu desenho tranquilamente, até que o telefone toca, eu me levantei pra atender, e quando estava indo em direção ao corredor, uma sombra negra parou diante de mim, eu fiquei sem reação, fiquei ali parada olhando aquela sombra, meus pelos estavam todos eriçados, lágrimas caíam de meus olhos, eu achei que estava ficando maluca, eu fechei meus olhos e passei pela sombra, e quando passei por ela o meu corpo ficou gelado, e eu sabia que algo havia acontecido, atendi ao telefone ainda tonta com o que havia acontecido, era minha mãe, eu tentei me acalmar, e não falei nada sobre a sombra por medo dela me achar louca e querer me internar, eu já não me dava muito bem com ela, minha mãe me deu a notícia de que o tal rapaz havia falecido, eu fiquei horrorizada, desliguei o telefone na mesma hora e fiquei do lado de fora de casa, só voltei quando minha mãe e o pessoal daqui de casa voltaram. Desde então, eu passei a ver, sentir e até mesmo ouvir coisas estranhas, que eu acredito que sejam fantasmas me assombrando ou até algo pior. Mas essa é só uma de muitas outras histórias que me aconteceram, na realidade essa é a primeira.

ESPÍRITOS MALIGNOS



Aconteceu há algum tempo atrás em uma cidade do interior de Minas Gerais. 
Helena cansada de orar e pedir resolveu procurar um centro e umbanda onde acreditava encontrar uma cura para seu útero e finalmente poder ter um filho. 
Começou a freqüentar. No início foi tudo bem, ia à todas sessões e se relacionava muito bem com as pessoas de lá. 
Em um dia após algumas rezas espirituais, Helena conversa com uma mãe de santo e na conversa revela que o maior desejo de sua vida é ter um bebê, e que através da umbanda prentede realizá-lo. Valmira, a mãe de santo, chama Helena em uma salinha e fala para ela sobre um pequeno lugar que fazia com que os "milagres" se realizassem. 
Helena se anima e vai ao lugar milagroso sem que seu marido saiba. 
Ela pega o endereço que Valmira passou e chega em um beco aparentemente abandonado, sai do seu carro e bate em uma pequena porta, logo um homem de meia idade a atende e convida para entrar, Helena diz que veio mandada por Valmira. O homem diz que já esperava por ela e pede para que se acomode no fundo da sala em que todos estavam reunidos. 
Helena se assusta com o que vê nas paredes, muitas fotos de demônios e outros seres deformados, na sala umas seis pessoas permaneciam quietas e imóveis. 
O culto começa, todos se levantam e reverenciam um homem vestido todo de preto e com um rosto medonho. Helena sente-se incomodada com todo aquele cenário e começa a se aproximar da porta para sair dali. Quando estava para abrir a porta o "mestre" como era chamado, a chama para ficar sentada e quieta durante o culto. Helena com medo obedece. 
Em determinado ponto do ritual, entra uma moça bem magra e pálida com a foto do demônio em suas mãos, nessa hora Helena fica apavorada e tenta ir embora, mas o "mestre" a segura com força e faz ela ajoelhar diante da foto como os outros seguidores. 








A foto passa de pessoa em pessoa, e cada um deve fazer um pedido em voz alta para a imagem. Cada um pede aquilo que lhe é conveniente. Quando chega a vez de Helena, ela pede para ficar grávida. Após os pedidos todos voltam a se sentar. 
O final do culto se aproxima e o "mestre" vem com uma faca fazendo pequenos cortes nos pulsos das pessoas. Helena começa a chorar mas estava presa naquele lugar. Dois homens a seguram e o corte em seu pulso é feito. 
O "mestre" fala: "- Por mais um dia vocês selaram a dívida com o Superior". E se retira da sala. Todos vão embora em silêncio. 
Helena entra em seu carro e vai o mais rápido possível para sua casa, mas o pior de tudo foi que ela se calou sobre essa experiência. 


Quatro meses se passam... 
Helena já havia se recuperado do susto daquele dia, e também havia deixado de ir ao centro de umbanda. 
Vivia feliz ao lado de seu marido. 
Em uma tarde de sábado quando estava fazendo compras, se sente enjoada e desmaia. Seu marido estava junto e a levou rapidamente para o hospital onde fez muitos exames e permaneceu em repouso até o início da noite. 
O médico vem com os resultados e dá a notícia que Helena estava grávida. Ela e seu marido não se agüentavam de tanta felicidade. 


Na semana seguinte, sozinha em casa Helena estava pensativa pois o pedido feito no culto havia se realizado. Ela pensa mais um pouco e decide voltar naquele lugar para agradecer o milagre. 
Seu marido trabalhava à noite e isto facilitava com que ela não fosse descoberta. 
Entra novamente na sala de orações e um dos homens disse que a presença dela já era esperada, pois quem um dia faz seus pedidos acaba retornando para agradecê-los. 
Assim aconteceu por meses, dia após dia Helena retornava e fazia o pacto de sangue com as outras pessoas. 


No culto, em um dia que Helena não havia ido, houve uma reunião em que todos estavam em acordo com uma decisão: "O ritual do sacrifício seria realizado". 


O bebê de Helena já estava no sexto mês de gestação e ela continuava freqüentando os rituais diariamente e parecia estar super feliz com tudo o que já havia conseguido. 


Numa sexta feira de noite estrelada em um dia 11, Helena mais uma vez conclui sua rotina. 
Para seu marido ela falava que ia em um grupo de oração rezar por seu filho. 
Ela entra na sala de rituais mas desta vez algo estranho estava acontecendo: todos a olhavam diferente. O ritual começa e bem na hora em que a foto do demônio aparece para ser cultuada e adorada, seu celular toca e ela recebe a notícia que seu marido acabara de ser assassinado quando ia para seu trabalho. Helena grita muito e tenta abrir a porta que estava trancada. 
Dois homens vão em sua direção e ela pede ajuda para sair, mas eles a pegam pelo braço a levam para uma outra sala onde ela nunca havia entrado. Eles tiram toda a roupa dela e a deitam amarrada em uma mesa de pedra muito fria. 
Helena tenta gritar mas está amordaçada, chora muito e pede por clemência. 
De nada adianta, em uma língua estranha o "mestre" começa a rezar de frente para um crânio com velas do seu lado. 
Helena nua, fica apavorada quando vê que o mestre olha para seus orgão genitais, pensa que será estuprada. 
O mestre pede para que seus ajudantes segurem com muita força suas pernas abertas e pede para tomarem cuidado com a barriga que possuia o bebê. 
O homem enfia a mão nos órgãos de Helena, onde muito sangue escorre pela mesa, aprofunda-se até o útero onde que com muita força agarra o bebê e começa a puxá-lo para fora, Helena desmaia de tanta dor mas os homens não param e puxam seu filho para fora todo ensangüentado e ainda com um resto de vida. 
Para matar a criança eles a jogam contra a parede por duas vezes. Com o feto em mãos eles voltam a rezar e colocam o corpo em frente ao crânio e dizem que o Sacrifício está completo. 


Helena permanece amarrada, desmaiada e cheia de sangue por toda a noite. 


Perto da hora do almoço do dia seguinte ela acorda já solta e limpa. Ela pede por socorro ao ver que seu filho havia sido retirado, mas ninguém aparece. Helena corre para fora pega seu carro que ainda estava no mesmo lugar e foge para casa. 


No caminho lembra-se do telefonema que recebeu sobre a morte de seu marido. Ela não agüenta a pressão arruma suas malas e decide fugir para bem longe de sua cidade. 


Passam-se alguns anos, Helena aparentemente havia se recuperado, pois foi acusada e condenada pela morte de seu marido. Ficou um ano presa por assassinato duplo de seu marido e filho o qual também foi acusada. Tentou se explicar dizendo que perdeu o bebê em um ritual mas nenhuma prova foi encontrada no local, todos haviam desaparecidos. 


Helena, casou-se novamente. E hoje ainda com alguma maldição em seu corpo chora a perda de seu terceiro filho...